Olá, eu sou a Ana

Uma mulher apaixonada pela vida, pelas pessoas, pelos lugares, pelo desporto e por tudo o que me faz sorrir.

Sou filha, irmã, amiga e companheira, mas acima de tudo sou … MULHER e acredito que todos nós temos uma MISSÃO, algo que nos move a sermos melhores seres humanos. 

A minha é ajudar-te a (re) encontrares o Amor por Ti Própria, para assim encontrares a felicidade, segurança, confiança e o amor, que muitas vezes, por variadas razões, perdemos.

No entanto, antes de começarmos, vou-te confessar algo: não é fácil e por isso mesmo, decidi contar-te a minha história.

3671fe4a-6b13-46fe-92f5-254f48b63a22 (1)

Durante a minha adolescência, sempre gostei daquilo que via ao espelho, a confiança sempre lá no alto e nada me deitava abaixo.
Fui tendo os meus “namoricos” como qualquer outra adolescente, mas tudo muito tranquilo, visto que os estudos e o desporto estavam sempre em primeiro lugar. 


Eu fazia questão que assim fosse, porque era feliz assim.

C2C5E9BA-C565-4A9B-9383-4F3E94647AD9

Com a entrada na faculdade, o núcleo de amigos mudou e eu mudei.

Alguns rapazes passaram a despertar a minha atenção e as relações foram-se tornando mais sérias, mas ao fim de 1 ano de namoro  ou um pouco mais, eu perdia o interesse e voltava a ficar só.

Foi assim durante anos, o tempo foi passando e eu passei a ser “aquela” que ia sozinha a jantares de amigos, ou a almoços de família ou a festas onde todos tinham alguém.

Sempre mostrei um lado independente, forte, cheia de energia e que me sentia bem assim, sozinha, mas naqueles momentos em que estava no meu canto, sentia-me mesmo só e o amor por mim foi desaparecendoporque fui acreditando que eu é que tinha algo de errado.

Por me sentir só, acabei por viver algumas relações que aos poucos, eu permiti que destruíssem algo que eu tinha de muito poderoso, a minha autoconfiança.

Passei a não ter opinião, a viver os problemas da pessoa com quem estava na altura e a sentir-me cada vez mais fraca.

Vivia para a relação e deixei de ter vida própria porque acreditava que, como não era suficientemente boa para ninguém, tendo namorado na altura, tinha por obrigação de fazer tudo por ele.

Precisei de algumas tentativas de amor e 15 anos de encontros aleatórios para eu, um dia, olhar-me no espelho e conseguir ver a mulher que me tinha tornado e não gostar de nada daquilo.

E sim, estava na altura de ficar realmente só. Estava na altura de me reencontrar, e de perceber o que realmente queria para mim e de me voltar a Amar.

E assim foi durante dois anos.

Recuperei a minha autoconfiança, o meu poder, a minha força e o meu “gozo” de viver e acreditando que isto do “amor para a vida toda” já não era para mim, surge o P.

E com ele, veio um descobrir de coisas novas, de sentimentos já “fechados” em mim e de um pânico total em não querer voltar a cometer os mesmos erros do passado. O medo de perder a minha identidade: ter que deixar de fazer as minhas coisas, sair quando me apetecer, acordar cedo e ir caminhar as 7h, ter tempo para mim, estar com os meus amigos ou até mesmo ter o meu silêncio. Acima de tudo, o pânico de voltar a perder o amor por mim mesma.

Tudo isto me assombrava e durante algum tempo da relação com o P., não me permiti viver com entusiasmo alguns momentos e aproveitar verdadeiramente este sentimento maravilhoso que é amar e sentir-me feliz por isso. Desculpa P.

Hoje sou uma MULHER, que vive um AMOR para a vida toda, com a sua própria IDENTIDADE, história, vivências, espaço, hobbies, amizades, amor- próprio e imensamente FELIZ.

IMG-5157

E acredito seriamente que o meu propósito de vida é ajudar mulheres, que estão a viver a mesma situação que eu vivi, a acreditarem em si mesmas, a amarem-se e permitirem-se ser amadas, sem perderem a sua identidade e autenticidade.

Não há nada melhor nesta vida, do que nos sentirmos completamente realizadas e felizes, connosco e com todos aqueles que nos rodeiam. 

E acreditando seriamente que este é o meu propósito de vida, aprofundei os meus conhecimentos nas áreas do desenvolvimento pessoal e coaching. Realizei algumas formações, nomeadamente workshops de pnl bem como a certificação em Eneacoaching 2.0 e em Eneagrama no Instituto Eneacoaching e hoje, enquanto Eneacoach Transformacional, estou aqui para te ajudar a voltares a acreditar no amor por ti mesma, para assim voltares a amar alguém.

 

Voltar ao topo